Close
Metadata

%0 Conference Proceedings
%4 sid.inpe.br/mtc-m16d/2020/11.30.13.41
%2 sid.inpe.br/mtc-m16d/2020/11.30.13.41.13
%T Consequência dos limiares de aumento da temperatura média global determinados no acordo de Paris no balanço hídrico para o eucalipto no sudeste brasileiro
%D 2020
%8 16-19 nov. 2020
%A Benassi, Rafael Bittencourt,
%A Martins, Fabrina Bolzan,
%A Torres, Roger Rodrigues,
%A Brito Neto, Francisco Agustinho,
%@affiliation Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI)
%@affiliation Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI)
%@affiliation Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@electronicmailaddress afaelbenassi74@unifei.edu.br
%@electronicmailaddress fabrina@unifei.edu.br
%@electronicmailaddress roger.torres@unifei.edu.br
%@electronicmailaddress francisco.brito@inpe.br
%E Galetti, Giovana Deponte,
%E Sena, Caio Átila Pereira,
%E Mandú, Tiago Bentes,
%E Jacondino, William Duarte,
%E Alves, Laurizio Emanuel Ribeiro,
%E Afonso, Eliseu Oliveira Afonso,
%B Encontro dos Alunos de Pós-Graduação em Meteorologia do CPTEC/INPE, 19 (EPGMET)
%C Online
%S Resumos/Pôsteres
%I Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%J São José dos Campos
%1 Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%K Balanço Hídrico, Mudanças Climáticas, Projeções Climáticas, Acordo de Paris.
%X As projeções climáticas indicam impactos no setor florestal para as próximas décadas. Com isso, a 21ª Conferência das Partes (COP21) criou um novo acordo internacional com o objetivo de mitigar as mudanças climáticas, buscando estabilizar o aquecimento médio global abaixo de 2ºC e preferencialmente abaixo de 1,5ºC, quando comparado ao período pré-industrial. Entretanto, mesmo se esses limiares sejam mantidos as alterações decorrentes desse aquecimento nos padrões de temperatura do ar local, precipitação, evapotranspiração e água disponível poderão causar inúmeros impactos. O eucalipto é o gênero florestal mais cultivado no Brasil, com cerca de 5,67 milhões de hectares, e o setor de florestas plantadas no Brasil gerou um PIB de 86,6 bilhões de reais no ano de 2018. Seu cultivo se concentra principalmente nos estados de Minas Gerais (24%) e São Paulo (17%). As alterações nos padrões climáticos relacionados a temperatura e precipitação poderão impactar e inviabilizar o cultivo de eucalipto no Sudeste. Nesse sentido, o objetivo deste estudo foi analisar o impacto do aumento de 1,5ºC e 2ºC da temperatura média global, quando comparado com o período pré-industrial, no balanço hídrico para o eucalipto no Sudeste do Brasil. Para isso, utilizou-se as simulações e projeções de 26 modelos do sistema terrestre integrantes do conjunto de dados do Coupled Model Intercomparasion Project Phase 5 (CMIP5) em quatro cenários de forçantes radiativas (RCP2.6, RCP4.5, RCP6.0 e RCP8.5) aplicados no Balanço Hídrico simplificado de Thornthwaite e Mather. Haverá aumento da deficiência hídrica de até 300 mm ano-1 (200 mm ano-1) para o limiar de aquecimento médio global de 2ºC (1,5ºC) no norte de Minas Gerais, oeste de São Paulo e na maior parte do Rio de Janeiro e Espírito Santo. E redução do excedente na maior parte do Sudeste, exatamente nos locais onde houveram maior deficiência hídrica, com valores entre 200 e 250 mm ano-1 em ambos os limiares (2ºC e 1,5ºC). As projeções indicam aumento de até 125 mm ano-1 na evapotranspiração real em São Paulo e redução (de até 250 mm ano-1) para Espírito Santo e norte de Minas Gerais e Rio de Janeiro (limiar de 2ºC). O aumento da deficiência hídrica será o maior entrave ao cultivo do eucalipto no Sudeste.
%9 Estudos e Modelagem do Tempo e Clima
%@language pt
%3 GT1_BENASSI.pdf
%) sid.inpe.br/mtc-m16d/2020/12.07.20.15


Close